Essa é uma pergunta muito comum quando meus alunos voltam de Buenos Aires ou de outra cidade cuja língua é o espanhol.

Por que é possível entender o que um argentino diz em espanhol e, quando é a nossa vez de falar português, as dificuldades dele para entender-nos são maiores?

Muitas podem ser as variáveis: nível de conhecimento de espanhol do aluno, velocidade de fala do seu interlocutor, naturalidade do brasileiro, etc.

Mas português e espanhol, ainda que sejam línguas muito parecidas, possuem entre si diferenças fundamentais que estão diretamente relacionadas com esse problema na comunicação. Neste post comentarei apenas uma, mas estou certa de que se você quiser aprender espanhol, essa dica é preciosa para seu êxito comunicativo.

Alfabeto e ortografia:

A – ê  – i – ô – u

*Em espanhol não existe o símbolo “^”. O objetivo aqui é só destacar a pronuncia dessas letras  “e” e “o” que sempre terão o som fechado do português. Exemplo: “café” em espanhol fala-se “cafê” ainda que se escreva da mesma forma que em português.

A – ã– é – ê – i – ô – ó – õ – u

E para a língua portuguesa, diferenciar a pronuncia de cada uma das vogais é essencial. Não é a mesma coisa dizer “vovô” e “vovó”, certo? Bem, se você disser essas palavras ao seu amigo argentino ele provavelmente considerará que você está falando a mesma palavra duas vezes… só que um pouquinho diferente a primeira da segunda.

É importante ter sempre em mente que a língua portuguesa é mais ampla em sons que a língua espanhola e que, se queremos conseguir uma comunicação mais efetiva em espanhol, devemos tomar bastante cuidado com a pronúncia correta das palavras, evitando assim desagradáveis desencontros linguísticos.