O estudante, que tem o espanhol como língua estrangeira, ao entrar em contato com a gramática, deve ser direcionado às duas culturas da língua castelhana, a começar pela dicotomia espanhol/castelhano.

Isso porque é importante fazer a separação do idioma até que o aluno compreenda que, seja qual for termo, este é eleito de acordo com a localidade.

Na Espanha, adota-se o termo espanhol em razão da derivação com o próprio nome do país.

Já os hispano-americanos usam o termo castelhano em razão das poucas mudanças ocorridas na língua desde a chegada dos espanhóis em terras latinas.

De acordo com linguistas espanhóis, ficou a denominação “castelhano” para o dialeto que, recebendo elementos de outros dialetos hispânicos, transformou-se na língua oficial da Espanha, em 1492, em decorrência da criação da primeira gramática em Língua Espanhola e, por conseguinte, com a criação, em 1495, do primeiro dicionário de língua espanhola.

Isso posto, mostra que a história do idioma espanhol pode ser dividida em três momentos:

  1. em castelhano antigo, entre os séculos X e XV;
  2. espanhol moderno do século XVII ao XVIII; e
  3. espanhol contemporâneo a partir da fundação da Real Academia Espanhola até a atualidade.

Vale a pena acrescentar que é com o imperador Carlos I que, em 1536, o dialeto de Castela, passa a ser a Língua Oficial da Espanha, denominando, portanto, em Espanhol.

A propósito, tal denominação provém do latim medieval, Hispaniolus.

De acordo com o dicionário da Real Academia Espanhola ambas as denominações são sinônimas.

Em síntese, não há qualquer distinção entre o espanhol e o castelhano. Tanto o vocabulário quanto à grafia das palavras e às regras gramaticais são os mesmo no espanhol e no castelhano.

“Yo, que entonaba en la delgada avena

Rudes canciones, y egresado de los bosques,

Hice que las vecinas lavas contentas

La avidez del colono, empresa grata”

Virgílio – Eneida – Livro 1

Como falar castelhano?

Assim como a Língua Portuguesa, a Língua Espanhola é proveniente do Latim.

Inicialmente, o que existia era simplesmente o Latim. Depois, o idioma dos romanos passou a ser também instrumento literário.

De forma que o Latim, apresentando esses dois aspectos, sofre mais e mais transformações. É a língua dos cultos e iletrados, dos instruídos e ignorantes.

É a língua que está nos livros, nos romances, nos versos,

Mas é também a língua que se ouve no comércio, nas tabernas, nas ruas.

É a língua de Ouvídio – Publius Ovidius Naso – autor de autor de Heroides, Amores, e Ars Amatoria.

De Virgílio – Públio Virgílio Marão – autor de Eneida.

Todavia, o Latim é também a língua do povo, dos salteadores, dos comerciantes.

Assim, a língua cresce e se distingue entre os falantes, o que faz surgir a primeira  categorização: o Latim Clássico e o Latim Vulgar.

Mas, não se trata aqui de duas línguas diferentes e, sim, de dois aspectos da mesma língua. Uma surgiu do outra.

Essas duas modalidades do Latim – a literária e a popular – receberam dos romanos a denominação respectivamente de sermo urbanus e sermo vulgarisi.

Agora, em relação a pronúncia, há algumas diferenças. Por exemplo:

Na Espanha, as letras “C” E “Z” devem ser pronunciadas com a língua entre os dentes. De outro modo, a pronúncia não está correta.

Já na América Latina, o som dessas duas letras é bastante parecido com o nosso “ss”.

Eliminando esse tipo de questão, não há diferença.

Quais são os países que falam Castelhano?

País Capital Continente
Argentina Buenos Aires América
Bolívia Sucre América
Chile Santiago América
Colômbia Bogotá América
Costa Rica São José América
Cuba Havana América
Equador Quito América
Espanha Madrid Europa
Guatemala Cidade da Guatemala América
Guiné Equatorial Malabo África
Honduras Tegucigalpa América
México Cidade do México América
Nicarágua Manágua América
Panamá Cidade do Panamá América
Paraguai Assunção América
Peru Lima América
República Dominicana São Domingos América
Salvador São Salvador América
Uruguai Montevideu América
Venezuela Caracas América


Aprender língua castelhana

Para aprender o espanhol ou castelhano é preciso em primeiro lugar ter real intenção do porque quer estudar castelhano: é para trabalhar? morar fora? Ter essa clara convicção irá nortear o aprendizado.

Infiltre-se no idioma. Tenha-o como realmente o primeiro idioma. Ou seja, é preciso conhecer os países que falam castelhano, sua cultura. É preciso também ler e investigar. Quanto maior for a aproximação, maior o aprendizado.

Sempre que possível fale em Castelhano, pense em Castelhano. Ouça música, assista a filmes, séries, novelas…

Deixe que o castelhano invada todo o seu tempo livre. Assim, você vai perceber o quanto o seu esforço vale a pena.

Mas, se, por ventura, ocorrer algum percalço, nunca desanime. Pelo contrário…

Siempre adelante, sin parar, con entusiasmo e perseverancia!