A Língua Espanhola teve sua origem, na Idade Média, no antigo reino de Castilla.

Nessa época, a Espanha ainda não existia. Daí o idioma falado no país ser conhecido como Castelhano.

Por volta do século XIII, o reino de Castilla se impôs aos outros territórios da região, principalmente após o casamento de Fernando e Isabel. Os reis católicos levaram o reino ao auge de seu prestígio. Nesse mesmo tempo, Cristóvão Colombo disseminou ainda mais o Castelhano ao cruzar o Oceano Atlântico e estabelecer na América Latina a língua de um dos maiores reinos da Europa.

Qual é a importância da língua espanhola?

A língua espanhola é importante em razão de diversas relações políticas, econômicas e comerciais que ocorrem continuamente entre o Governo Federal e países pertencentes ao Mercosul.

Conhecer uma língua, é uma maneira de adquirir conhecimento e, portanto, ter acesso às diferentes formas de pensar, criar, agir e conceber a realidade.

O domínio em outro idioma possibilita também espaço no mercado de trabalho, uma vez que muitas empresas multinacionais com filiais aqui na América Latina ficam de olho em profissionais  que possuam essa habilidade.

Vale ressaltar que  faz bem para o desenvolvimento pessoal, intelectual e profissional dominar outro idioma.

E, reafirmando: conhecer outros idiomas já não é mais só mais uma opção, é uma necessidade.

Em outras palavras, falar uma língua estrangeira, especialmente o espanhol, favorece ter conhecimento sobre outras culturas, além de possibilitar o entendimento, o diálogo e a comunicação entre diferentes nações.

Qual a diferença entre o espanhol latino e o espanhol da Espanha?

O uso distinto da língua da América Latina para a Espanha se deve primeiro ao processo de colonização que foi mais ou menos uma espécie de miscelânea linguística.

Ou seja, os regionalismos, a localização geográfica foram aspectos que contribuíram para essa diferença. Por esses motivos, surgiram as diferenças no vocabulário e na pronúncia.

Em relação ao plano fonético, o espanhol da Espanha,  pronunciam o “ll” como “lh”, por outro lado, no Chile, Argentina e Uruguai a pronúncia muda, o “ll” está bem mais próximo ao som do “j”.

Já em relação à gramática e  ao vocabulário, a variação entre países e continentes é mais acentuada: a palavra ônibus, por exemplo, na Espanha  se diz autobús, na Argentina, colectivo, no México, camión e na Colômbia, bus.

Qual é a diferença entre espanhol e portunhol?

O português e o espanhol são chamadas línguas românicas por ter sido originadas do Latim, língua oficial de Roma.

A partir do crescimento e do avanço do Império Romano e, por conseguinte, a invasão dos povos bárbaros e o declínio do Império, houve a dispersão dos povos, e a fragmentação da língua foi inevitável.

Não havia mais a unidade linguística. À medida que os povos se dispersaram pela  Europa, abriu-se espaço para a formação de dialetos que eram chamados de “romances” que por sua vez recebiam também características de linguagem diferentes das do latim original, surgindo, assim, línguas intermediárias e, finalmente, as românicas ou neolatinas.

Daí as línguas portuguesa e espanhola terem em seus repertórios uma infinidade de palavras parecidas, mas com significados muitas vezes diferentes.

Isso dá aos brasileiros oportunidade para se arriscarem  e praticarem o portunhol.

Mas, é preciso ter cuidado, pois os falsos-cognatos existem e atrapalham muito a comunicação.